Quadrinhos

Volume 12 da série SPIROU DE traz encontro comovente e improvável a bordo de navio com destino a Nova York

sda1
Escrito por PH
E-Books Mais Vendidos

sda1O volume 12 da série SPIROU DE saiu em novembro, na Bélgica, com desenhos de Laurent Verron e texto de Yves Sentes. O álbum se chama Il s’appelait Ptirou (Ele se chamava Ptirou).

E nessa aventura de 80 páginas coloridas, que acabou de ganhar uma linda versão em preto e branco, uma história surpreendente e dramática é contada num começo de noite, do Natal de 1959, numa mansão no subúrbio de Charleroi. Reunidos com o tio Paul, três crianças impacientes pedem uma história. Aquela que lhes entreterá será inspirada num antigo episódio de quase trinta anos.

A Grande Depressão assola esta época penosa, através de tensões sociais, greves e conflitos que são o cotidiano das indústrias destes tempos. A empresa de Henri de Sainteloi, chefe da Companhia Geral Transatlântica não é exceção à regra. Pressionado por seus acionários a renegociar as tarifas de aluguel dos cais, Sainteloi resolve viajar para Nova York e aproveita para levar também a sua filha única, Juliette, encantadora criança que sofre de um grave problema de insuficiência cardíaca.

Enquanto isso, a quilômetros de Paris, nas margens do Sena, o Circo Marcolini está de luto, pois Madly, sua trapezista principal, foi vítima de um trágico acidente que forçou seu filho, Ptirou, a deixar os saltimbancos para tentar a sorte na América, lá, onde dizem que tudo é possível para quem persegue seus sonhos.

No navio que parte para o Novo Continente, se desenrola a história de um improvável encontro, uma aventura extremamente comovente.

Fica aí a dica de título para ser trazido para o Brasil pela SESI-SP Editora!

Por PH, a partir de texto divulgado pela DUPUIS.

Images : © DUPUIS / Laurent Verron / Yves Sente

9782800170695-couv-M800x1600

5

10

16

Sobre o Autor

PH

É ex-locutor do TOP TV da Record e radialista. Também produz a série Caçador de Coleções e coleciona HQs europeias, nacionais e quadrinhos underground

Deixe seu comentário